50 motivos para evitar uma cesárea desnecessária (revisado pelo Dr. Jorge Kuhn)

Riscos da cesárea:

Para o bebê:

  • Risco de complicações e desconforto respiratório
  • Demora maior para o leite “descer”
  • Maior probabilidade de aspiração com cânulas após o parto (vias aéreas e orais)
  • Risco de morte 10x maior, se for uma cesárea desnecessária
  • Grandes chances de ficar longe da mãe após nascer
  • Maior risco de infecção por aspiração de mecônio
  • Maior dificuldade no aleitamento
  • Maior chance de desmame precoce
  • Lesão na hora da cesárea
  • Maior risco de morte inexplicável no final da gestação seguinte
  • Dificuldades de vínculo com a mãe
  • A mãe pode precisar de analgésicos fortes para aliviar a dor no pós-parto e estes podem passar para o bebê através do leite
  • Maior risco de internação em UTI

Para a mãe:

  • Risco de ruptura uterina aumentada no próximo parto, caso sejam utilizadas ocitocina artificial no soro e/ou anestesia
  • É difícil encontrar um médico que faça partos normais após cesáreas, pois são dependentes das drogas citadas acima
  • Risco de morte 4x maior
  • Risco de infecção hospitalar
  • Pós-parto demorado e dolorido
  • Após a cirurgia: maior desconforto e dor; maior dependência de outras pessoas para cuidar do bebê
  • Dificuldades para engravidar e maior risco de infertilidade posteriormente
  • Maior risco de endometriose
  • Maior risco de hemorragias, transfusões e morbidades provocadas por transfusões
  • Sensibilidade na cicatriz a longo prazo (coceira, dor, sensação de estiramento etc.)
  • Dormência na região entre a cicatriz umbilical e o corte cirúrgico
  • Formação de aderências
  • Aumentam as chances do próximo parto ser cesáreo
  • Lesão no intestino na hora da cesárea
  • Maior risco de trombose e doenças correlatas (incluindo embolia)
  • Maior risco de acidentes com anestesia
  • Risco da anestesia não pegar e ter que fazer uma anestesia geral
  • Maior incidência de Inserção Baixa de Placenta (Placenta Prévia)
  • Maior chance de Acretismo Placentário (a placenta penetra mais profundamente no útero) 33. Histerectomia (perda do útero) devido ao sangramento
  • Maior necessidade de transfusão sangüínea
  • Morte materna devida à hemorragia, conseqüente a inserção baixa de placenta
  • Maior risco de atonia uterina (o útero não contrai adequadamente após o nascimento)
  • Maior risco de embolia pulmonar
  • Maior risco de trombose venosa profunda
  • Numa próxima gravidez você não será mais de baixo risco
  • Risco de reinternação e reoperação por infecção da cicatriz e/ou deiscência de pontos, sangramentos etc., com conseqüente afastamento do bebê
  • Dificuldades de vínculo com o bebê
  • Não realização da plenitude da maternidade
  • Maior risco de depressão pós-parto

Caso a cesárea tenha sido feita antes do trabalho de parto, marcada com antecedência, além dos riscos acima podemos adicionar:

  • Risco maior de prematuridade do bebê
  • Um desrespeito monstruoso e uma tremenda violência à mãe e ao bebê, quanto ao ciclo do processo
  • A perda da oportunidade da primeira descoberta de sua própria força e capacidade de luta 47. A perda da energia que estava sendo guardada para o momento do parto, o que gera frustração
  • A perda da oportunidade de vivenciar uma situação que lhe daria noção de foco, de fazer esforço numa direção e sentido correto
  • Quem convive com essas conseqüências de uma desneCesárea, geralmente aprende as verdades da vida de uma forma muito mais dolorosa e demorada
  • Segundo os astrólogos (para quem curte esse tema), o bebê nasce com uma dualidade na personalidade (situação astrológica natural x situação astrológica forçada)